São João Batista terá QR Codes em túmulos

A partir do Dia de Finados, quem for ao cemitério São João Batista encontrará um código QR Code nos túmulos de alguns dos famosos ali enterrados. Bastará apontar o smartphone ou tablet com acesso a Internet para o desenho em formato de código de barras para descobrir quem está enterrado ali, sua história, fotos, vídeos, textos biográficos e outras curiosidades.

Gravados com laser numa placa afixada nos jazigos, o QR-Codes serão instalados, neste primeiro momento, nas sepulturas de 150 personalidades enterradas no SJB (saiba mais), tais como Cândido Portinari, Santos Dumont, Olavo Bilac, Graciliano Ramos, Carmem Miranda, Cazuza, Tom Jobim, Clara Nunes, Padre Guido, Chacrinha, Vicente Celestino, Aracy de Almeida, Nelson Gonçalves, Didi Folha Seca, Marechal Rondon, Presidente Dutra, Castelo Branco. O projeto, batizado como Queridos Para Sempre, estará à disposição também das famílias de anônimos que quiserem deixar registrado nas suas sepulturas e jazigos a história dos entes queridos ali sepultados.

Bastante usado em cemitérios do Japão e Estados Unidos, o serviço Queridos Para Sempre também está à disposição das famílias que quiserem deixar registrado nas lápides a história dos entes queridos que foram exemplos de vida.

“Hoje, com as novas tecnologias, ficou mais fácil eternizar a memória dos nossos antepassados. É uma homenagem bonita e moderna, que as famílias podem deixar para conhecimento das futuras gerações”, explica Lourival Panhozzi, diretor da Rio Pax, concessionária que desde agosto de 2014 passou a administrar o São João Batista e outros cinco cemitérios públicos da cidade – Jacarepaguá, Irajá, Inhaúma, Campo Grande e Piabas (Vargem Grande).

O projeto Queridos Para Sempre vem complementar, ainda, as visitas guiadas gratuitas que a Rio Pax promoverá , com o apoio da Prefeitura do Rio, uma vez por mês ao cemitério São João Batista com o historiador Milton Teixeira. O primeiro passeio pelo São João Batista – que guarda, ainda, preciosidades arquitetônicas – está marcado para dia 30 de outubro, antevéspera de Finados.

O passeio com cerca de duas horas e meia de duração será finalizado dentro do mausoléu da Academia Brasileira de Letras (ABL), um espaço de 300 metros quadrados onde estão enterrados aproximadamente 90 imortais, entre eles o fundador da ABL, o escritor Machado de Assis.

“O São João Batista é o Pére Lachaise carioca”, compara Panhozzi, referindo-se ao cemitério de Paris que atrai milhares de turistas todos os anos.